Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Três prioridades na educação: leitura, leitura e leitura.

Falamos muito em educação sobre lacunas no processo de aprendizagem. Pessoalmente, trabalhar com universidades em diferentes países, em todos os lugares é um desafio para alcançar novos estudantes, uma lacuna que muitas vezes não só não consegue ser preenchida, mas acaba no abandono dos estudantes com resultados abaixo do esperado, alimentando um ciclo de desigualdades, falta de oportunidades e pobreza.

Mas vamos olhar para a educação escolar. Claramente, há muitos desafios e questões nesta importante e complexa área de implementação de qualidade. Entretanto, assim como uma casa deve ser construída a partir do chão, também o processo de aprendizagem deve ser feito.

Portanto, consideremos que uma alta porcentagem da população não entende o que lê (analfabetismo funcional), e agora vejamos os números que mostram que estudantes de 6, 7, 8 e até 9 anos ainda não conseguem ler, uma lacuna claramente exacerbada pelos efeitos da pandemia covida 19, que tentamos nivelar com a priorização curricular, e que continua a ter deficiências significativas.

Assim, se quisermos pensar nas prioridades das políticas públicas na educação, não é tão difícil encontrar o caminho a seguir: ler, ler e ler. Finalmente, é a capacidade de ler e escrever que permite o aprendizado de outras habilidades e conhecimentos, tanto no ensino dos primeiros ciclos de educação, quanto aquelas habilidades esperadas dos estudantes em cursos mais avançados.

Isto é verdade. Os sistemas de treinamento e avaliação de professores deixam muito a desejar e isto é algo que precisa ser melhorado. É verdade que o financiamento é sempre uma questão delicada, embora seja suficiente andar pelas escolas para ver quantos recursos são desperdiçados e mal utilizados (talvez não seja uma falta de recursos, mas a forma como estão sendo utilizados).

Poderíamos enumerar uma série de desafios. Mas e se o foco para os próximos anos fosse que cada criança deveria atingir o mais alto nível de alfabetização? é uma loucura? é muito caro?

As respostas a estas perguntas são bastante fáceis de visualizar. Se isso fosse feito, estaríamos lançando uma nova base de habilidades para as gerações dos próximos 20 anos, com mais e melhor aprendizagem, comunicação e compreensão do mundo ao seu redor. Não é uma loucura nem um custo, apenas falta-lhe visão e vontade política.

Talvez se compromissos políticos e slogans fossem tirados da equação, para colocar as necessidades das crianças e jovens do país no centro, o caminho a seguir seria mais claro. Talvez as autoridades pudessem guardar a pequena calculadora em seus bolsos para abrir as páginas que seguram um mundo a ser descoberto, para trazer à tona o melhor de cada estudante e, com ela, os talentos que construirão o futuro de nossa sociedade.

Conversemos

Valencia, España

isharon@innzpira.com

Newsletter

Isaías Sharon Jirikils © 2024. All Rights Reserved.

Cart0
Cart0
Cart0