Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Líderes sem inteligência emocional podem prejudicar o clima de trabalho e a saúde mental de suas equipes

As empresas estão cada vez mais atentas aos efeitos da falta de competências de liderança, por isso procuram gestores que possam capacitar suas equipes, desenvolvendo-as profissionalmente. Não é estranho ouvir que as pessoas abrem mão de seus patrões, que se tornam os antagonistas dos colaboradores.

Uma liderança sem habilidades interpessoais pode afetar o ambiente de trabalho, impactando na saúde dos colaboradores e, portanto, gerando consequências negativas na empresa. Nesse cenário, as empresas valorizam cada vez mais as habilidades socioemocionais ou interpessoais de quem toma a direção, pois as pessoas não só alcançam resultados por meio do conhecimento lógico, mas também pela capacidade de gerenciar equipes e a si mesmas.

Precisamente, a análise “Tendências Globais em Capital Humano 2021” da Deloitte aponta para duas das cinco estratégias em que a liderança é fundamental.

Desse modo, é mencionada a importância de orientar o potencial dos trabalhadores e das superequipes que se formaram nas empresas como mecanismo de sobrevivência nesse período, que os líderes podem utilizar para reinventar o trabalho.

Essa busca de emoção por parte dos chefes não é nova, mas é necessária. Isaías Sharon, Diretor Executivo da HPI International, observou que “há estudos que mostram que o QI está diretamente relacionado ao desempenho no trabalho. Quando isso acontecer, será a inteligência emocional que ajudará a impulsionar o desempenho e conseguir liderar bem as equipes”.

Embora a demanda por habilidades interpessoais esteja evoluindo, valoriza-se neste momento a adaptabilidade, a capacidade de aprender constantemente e ser capaz de conduzir as emoções da equipe e as próprias para administrar momentos complexos e construir melhores resultados. Para o executivo, “essas competências podem ser aprendidas, desenvolvidas e perdidas se não forem treinadas continuamente, mas deve-se ter o cuidado de fazê-lo com metodologias adequadas e com pessoas que realmente saibam instalar novas competências nas pessoas. Do contrário, é possível arriscar gastar muito tempo e dinheiro para que o resultado não aconteça ”.

No entanto, existem alguns que são mais complexos de desenvolver, que são a liderança e a inteligência emocional. Liderar sem habilidades interpessoais Embora seja possível gerenciar equipes sem ter esse tipo de competências, o que costuma acontecer nas organizações, “a questão é como você lidera e a que custo”, disse Sharon, que acrescentou que “liderar sem essas habilidades pode gerar resultados de curto prazo à custa de prejudicar o ambiente de trabalho, a saúde mental das equipes e tornar o desempenho insustentável ao longo do tempo, ou seja, levando ‘pão de hoje e fome de amanhã’”.

 
Conversemos

Valencia, España

isharon@innzpira.com

Newsletter

Isaías Sharon Jirikils © 2024. All Rights Reserved.

Cart0
Cart0
Cart0