Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Hora de mudar o paradigma

Esta manhã, no meu 14º dia de quarentena voluntária, eu estava pensando como em apenas alguns dias tantas coisas foram desencadeadas, uma após a outra, tudo num esforço para combater eficazmente esta pandemia de coronavírus e para poder, na medida do possível, manter a vida sem ter que paralisar absolutamente tudo o que estávamos fazendo há apenas algumas semanas.


Temos visto sistemas e ferramentas de videoconferência que facilitam o trabalho remoto crescer exponencialmente em algumas semanas ao redor do mundo. A mídia social está inundada de correntes que compartilham todos os tipos de conteúdo, muito dela sobre como podemos nos adaptar à nossa nova vida.


Em tempo recorde vemos que, no caso do Chile, o Registro Civil possui uma plataforma web e móvel para realizar procedimentos que até alguns dias atrás tinham que ser feitos somente em seus escritórios, em um horário profundamente incompatível com o trabalho e outras atividades. O Ministério da Educação criou e alimentou um portal com material pedagógico com o objetivo de garantir que as crianças percam o mínimo possível de conteúdo em seus currículos.


Além dos comentários tecnológicos ou se esta é a melhor maneira de implementar as coisas (não estou disposto a criticar em tempos de crise), fico com uma reflexão que gostaria de compartilhar neste post…

O problema nunca foi de orçamento ou tecnologia, nossa lacuna tem sido constantemente de paradigma mental, vontade e compromisso de realizar mudanças. Tudo isso que foi ativado agora remotamente poderíamos ter tido antes, mas neste contexto tornou-se urgente e, portanto, as capacidades (que já tínhamos como sociedade ou Estado) foram colocadas para criar novas formas de fazer as coisas mais simples e de qualquer lugar.


Então, por que não pensar em uma verdadeira modernização do Estado, onde possamos fazer quase todos (ou diretamente todos) os procedimentos remotamente? Quanto dinheiro, infra-estrutura, pessoal, etc., podemos economizar com os recursos de todos os cidadãos? quando a educação se tornou um grande negócio, com instituições que claramente cobram valores irrealistas, tanto pelo que oferecem como pela realidade econômica de nosso país (e da América Latina em geral), e em pouco tempo um portal ministerial se torna disponível, então não é possível continuar avançando em um sistema robusto de treinamento flexível disponível para todas as famílias, escolas, universidades, institutos, etc.? Isso não poderia nos ajudar a melhorar a educação e gastar menos recursos, incentivando novas formas de ensino e aprendizagem (novo no sistema, porque o mundo já mudou nesse aspecto nas últimas duas décadas)?


Tudo isso me parece ser uma excelente notícia. Em outras palavras, nunca foi uma questão de dinheiro, nem de capacidade, muito menos de tecnologia disponível, mas é uma questão de mentalidade, compromisso e vontade. Se usarmos esta pandemia como uma oportunidade, podemos aprender muitas coisas, inclusive que tanto o setor público quanto o privado podem inovar, ser mais acessíveis, mais próximos, mais fáceis, mais baratos, e assim por diante.


Espero que estes passos, em resposta a uma crise, sejam o primeiro passo no que acabará sendo um lugar melhor para viver e trabalhar, onde compreendemos que o mundo mudou e que devemos mudar também, e espero que nossas autoridades façam o mesmo, como fariam com eles e com o país muito bem.

Conversemos

Valencia, España

isharon@innzpira.com

Newsletter

Isaías Sharon Jirikils © 2024. All Rights Reserved.

Cart0
Cart0
Cart0