Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Entre palavras e atos…

Na era da informação, das redes sociais e da mediatização da vida, nos encontramos cada vez mais expostos a uma infinita quantidade de informações, muitas das quais são meros dados, mal ou mal articulados, sobre os quais construímos nossas opiniões, crenças e ações posteriores, sem conhecer a fonte, sua veracidade e sem verificar se o que é dito tem uma correlação com o que realmente acontece.


Esta situação me faz lembrar a conhecida frase “das palavras aos atos há um longo caminho a percorrer”, e me parece que isto (o que provavelmente sempre foi o caso) tem hoje uma variável adicional, ligada à hiper-exposição das redes sociais, à mudança dos limites da vida privada e a esta necessidade compulsiva de visualização e aprovação digital (seja para fins pessoais ou comerciais ou ambos).

A nova maneira de viver e de comunicar expõe cada vez mais a congruência interna de cada um de nós, e duvido muito que alguém seja poupado desta questão. A coerência e integridade pessoal é, talvez, um dos desafios do desenvolvimento pessoal que nos acompanha em nossa vida diária, deixando constantemente espaços que podem ser melhorados.


Dada esta situação, tão humana quanto evidente, devemos ser mais cuidadosos com o que vemos, dizemos e acreditamos sobre nós mesmos e sobre os outros. Vamos parar de dar tantos adjetivos (para o melhor ou para o pior) quando na realidade não temos idéia sobre outras pessoas, se tivermos sorte vemos uma parte muito limitada deles, cheia de “filtros”, que mostra o que eles querem mostrar ao mundo, mas que está longe da complexidade humana e do que realmente está lá.


Quantas pessoas afirmam ter a fórmula do sucesso, mas não alcançaram seus próprios objetivos? quantas outras querem nos ajudar a curar, enquanto estão “sangrando” em suas próprias vidas? quanta ânsia chegou àqueles que dizem que temos que “brilhar” como se isto fosse um concurso de holofotes ou estrelas? “Vaidade de vaidades, tudo é vaidade”, como diria o rei Salomão.


Entre o que é declarado e o que está realmente por trás do slogan e do quadro, há muitas vezes um abismo, mas cuidado, não estou me referindo apenas a como cada um de nós pode julgar os outros, mas também a nós mesmos, deixando de ver o que está lá ou o que nos falta até agora, embora adoremos parecer diferentes ou que os outros nos digam coisas bonitas, enquanto guardamos nosso lixo debaixo do tapete com nossos pés.


Antes de tomar uma posição sobre alguém ou algo, antes de defender posições ou pessoas, antes de tudo isso, talvez seja bom verificar como nós mesmos estamos indo com o espaço entre nossas palavras e nossas ações, para que possamos avançar em coerência, integridade e auto-aperfeiçoamento.

Conversemos

Valencia, España

isharon@innzpira.com

Newsletter

Isaías Sharon Jirikils © 2024. All Rights Reserved.

Cart0
Cart0
Cart0