Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Educação 4.0?

Muitas vezes tem sido comentado na Internet e em diferentes meios de comunicação que tratam do debate sobre educação, que no século passado tudo mudou radicalmente, enquanto o sistema educacional ainda está acontecendo de forma muito semelhante, tanto no espaço, quanto na dinâmica de funcionamento e seu funcionamento básico.


Durante as últimas semanas, não há dúvida de que o sistema educacional foi muito afetado pela situação pandêmica e pelo fechamento de instituições educacionais. Isto, por sua vez, mostrou como eles estão despreparados para o mundo de hoje, sem mencionar o mundo que está por vir. Gerentes que são incapazes de se comunicar, gerenciar e implementar sistemas de ensino à distância e coordenação eficaz das comunidades educacionais; professores que em sua maioria não têm nem o conhecimento nem a preparação pedagógica para um mundo digital, onde muitos fazem o melhor que podem, e muitos outros estão presos repetindo, como se fosse um mantra, que a educação à distância é inútil, simplesmente porque não a entendem ou não sabem como utilizá-la. Os pais são sobrecarregados pelo processo educacional de seus filhos, e os estudantes sabem como utilizar as redes sociais, mas em muitos casos não conseguem conviver com a educação virtual, porque ela é algo novo para eles.


Pessoalmente, como consultor de instituições educacionais e como pai de uma criança na educação básica, experimentei de ambos os lados este processo adaptativo que colocou o sistema em xeque. No entanto, isto também abre uma porta para a transformação rumo a uma educação 4.0 para o mundo de hoje.


Esta transformação não é mais tecnológica e, para um grupo importante da sociedade, também não é um problema de acesso à tecnologia, mas sim, de forma transversal, o desafio é de “mentalidade”, ou seja, torna-se necessário mudar a mentalidade e repensar a forma como construímos espaços de ensino/aprendizagem, tanto em nível presencial como em um sistema virtual que veio para ficar e está se tornando cada vez mais difundido a cada dia.


O problema não é o meio de ensino, mas como utilizá-lo para cumprir o propósito de construir espaços de aprendizagem, e há várias coisas que precisamos abordar. O desafio de mudar a mentalidade dos atores envolvidos; a incorporação de novas práticas pedagógicas que nos permitam aproveitar ao máximo as inovações disponíveis; a modificação dos sistemas de formação de professores; a preparação das famílias para um novo mundo (que também vai de mãos dadas com as mudanças no mundo do trabalho).


É certamente infinitamente mais simples fazer listas de recomendações. É claro que compreendo a complexidade de todo este processo e que o caminho pode levar vários anos e que envolve uma mudança em todo o sistema educacional e seus atores, com as conhecidas resistências, lacunas de competência e capacidades atuais existentes. No entanto, em minha opinião, isto não diminui dois elementos: Por um lado, a transformação social e tecnológica em que vivemos, onde continuar a pensar em um mundo de educação como era em 1900, é realmente um absurdo. E, por outro lado, a enorme necessidade de gerar um sistema educacional mais inclusivo, ágil e disponível nos tempos e formas que são necessários em um mundo cada vez mais dinâmico e mutável.


Estaremos prontos para tomar este contexto como uma oportunidade de transformação? Seremos realmente capazes de construir uma educação 4.0 para os próximos tempos? Isso ainda está por escrever. O que é certo é que o dilema que costumava ser retórico está agora sendo jogado diariamente na educação presencial via videoconferência, que está longe de ser todo o potencial da verdadeira educação à distância.

 
Conversemos

5900 Balcones Drive, STE 4000 Austin, TX 78731, USA.

Newsletter

Isaías Sharon Jirikils © 2024. All Rights Reserved.

Cart0
Cart0
Cart0