Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Como parar de gastar em treinamento

Estou ligado ao mundo da educação, treinamento e aconselhamento para pessoas, equipes e organizações há mais de uma década. Desde cargos em multinacionais, no setor público ou como empresário neste segmento, tenho visto quantas coisas mudaram sem tocar em alguns elementos essenciais na forma como isso é feito e que é realmente uma perda de esforço e de recursos (tempo e dinheiro) aos poucos. Embora alguns me digam quem “ganha” com isso, pessoalmente acredito que quase ninguém ganha e, portanto, devemos aprender a como acabar com os gastos com treinamento, ou pelo menos mudar a lógica para que seja realmente um investimento.

Sempre falamos que o centro da organização são as pessoas, que sem elas nada seria possível e que por isso mesmo é que precisamos cuidar do bem-estar e promover uma formação contínua que permita aos colaboradores estarem preparados para o mundo em que estamos e os desafios que enfrentamos hoje. Até agora, concordo em quase tudo sobre o discurso instalado.

Porém, o que torna os recursos aplicados em treinamento realmente um investimento e não uma despesa. Essencialmente, quando falamos em investir, referimo-nos a ter tempo, recursos materiais, econômicos, etc., para obter um retorno, ou seja, gerar mais do que se tinha antes do ato de investir.

Se levarmos isso para o mundo da formação, temos que entender que o investimento só se justificaria nos seguintes cenários:

  1. O ato de treinar possibilitou uma melhoria nas habilidades e competências dos colaboradores que impactam aqueles indicadores importantes para a organização, ou,
  2. Que o ato de investir permite gerar um ativo favorável para a organização. Aqui quero elaborar um pouco mais.

Se tivermos colaboradores mais competentes, eles podem ser considerados como “um ativo” que ajuda a empresa a atingir seus objetivos. No entanto, as pessoas mudam de emprego, pedem demissão, são demitidas, etc. Portanto, é um investimento (treinamento) que vai com o funcionário, a empresa tendo que investir repetidamente na formação do novo e do velho cada vez que são detectadas lacunas importantes (quem não tem lacunas Desenvolvimento?, Ninguém) Mas e se, em vez de pagar cada vez por um treinamento, esse orçamento fosse um ativo, ou seja, um produto de “treinamento” que fosse permanentemente utilizado pela organização? Então o que aconteceria com esse orçamento que muitas vezes é jogado fora dentro das empresas, a cada ano que a “Netflix” corporativa, a base de gestão do conhecimento, fosse povoada com novos programas de treinamento e cápsulas de conhecimento interno.

Eles não teriam mais que pagar quando quiserem um curso para uma pessoa ou um grupo, mas eles já compraram, é um trunfo da formação contínua.

É nisso que penso quando falo em como acabar com os gastos com treinamento. Mas isso, que é tão simples, por que não é feito? Acho que existem vários motivos:

  1. As empresas têm orçamentos anuais que administram muitas vezes na lógica de “gastar os valores atribuídos” ao invés de investir esses valores em treinamentos constantes.
  2. Os provedores preferem que sempre que houver uma necessidade, eles os paguem novamente e, assim, ganhem dinheiro por mês após mês.
  3. Os incentivos fiscais, no caso do Chile, não favorecem a geração de capacidades internas, mas sim a utilização de isenções fiscais (pagas por todos os contribuintes), numa perspectiva transacional e de curto prazo, ao invés de um investimento real em capital humano. Isso deve ser interrompido.

As empresas precisam parar de gastar com treinamento e se tornarem investidores em capital humano. Os fornecedores devem construir valor sustentado e não transacional e, juntos, devemos contribuir para um mercado de trabalho cada vez mais e mais bem preparado para os desafios do mundo atual.

Nós da LearninGroup estamos fazendo isso, e lançamos um Join Venture com outras empresas do setor com um olhar verdadeiramente ganha-ganha, porque isso não requer mais dinheiro, mas outro olhar e mais generosidade na forma como as coisas são feitas, engenhosidade e inovação.

Por isso construímos plataformas de treinamento corporativo de ponta, conteúdo personalizado para cada entidade com seus próprios conhecimentos, treinamos seus especialistas para ensinar outras pessoas, mas permanentemente através de tecnologia disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, nos incorporamos internacionalmente sistemas credenciados de avaliação de competências, avaliações de inteligência emocional e perfis de comportamento DISC, estamos trabalhando no treinamento e na mensuração do ajuste cultural entre funcionários e organizações, e tudo isso com integração tecnológica que nos permite gerenciar

Continue, tome decisões e seja realmente um investidor em capacidades humanas e não aqueles que são chamados a gastar dinheiro para cumprir um orçamento que muitas vezes é inútil.

Se você quer fazer parte dessa forma de fazer as coisas e levar sua empresa a saber como acabar com os gastos com treinamento para investir no desenvolvimento sustentável de pessoas e instituições, escreva-me e vamos conversar. Eu vou te dizer algo ÚNICO.

Conversemos

Valencia, España

isharon@innzpira.com

Newsletter

Isaías Sharon Jirikils © 2024. All Rights Reserved.

Cart0
Cart0
Cart0